“Aquele que não conhece a verdade é simplesmente um ignorante, mas aquele que a conhece e diz que é mentira, este é um criminoso”. (Bertolt Brecht)

sábado, 25 de maio de 2013

Por uma onda de paz na Faixa de Gaza

     Tal e Naim vivem em terras tensas a apenas 80 km de distância, em que brigas e mortes são uma constante, com um histórico imenso de guerra, violência e intolerância religiosa. Apesar de morarem próximos, os dois jovens têm vidas bem diferentes: Tal é uma francesa judia que vive em Jerusalém; Naim é palestino e mora em Gaza.
     Sem entender o porquê dos ataques constantes a Gaza, um lugar tão perto e tão longe de sua realidade, Tal manda um recado dentro de uma garrafa, atirada ao mar por seu irmão, soldado militar que vai lutar em Gaza. Na mensagem, uma clara vontade de saber quem encontrou a tal carta e vários questionamentos a respeito da situação que tanto agride os dois povos. Semanas depois, Tal recebe uma mensagem de Naim, que até encontrou a carta, mas, desconfiado, assinou o e-mail apenas como Gazaman. Assim começa o filme “Uma garrafa no mar de Gaza”, dirigido por Thierry Binisti e baseado no romance de Valérie Zenatti.
     Mesmo com as barreiras políticas – e físicas (separados por um muro, o “outro lado”) – que proíbem qualquer tipo de contato entre eles, Tal e Naim conversavam cada vez mais, diariamente, através dos e-mails, mesmo com todos os conflitos que os cercam.
     - Era preciso inventar um modo de comunicação que juntasse o arcaico (a garrafa no mar) com o moderno (a troca de e-mails). Só assim os dois conseguiriam se comunicar – conta Thierry Binisti, no texto de lançamento do longa.
     Entre uma troca e outra de e-mails, sempre escondida, os dois se apaixonam, compartilham experiências e descobrem a diferença cultural e a história de seus povos. Enquanto isso, perguntam-se “de que lado eu estou?” e percebem que, apesar de todas as diferenças, são iguais. E reféns de uma situação que está longe de terminar.
     O filme é um convite para olhar o conflito entre os dois povos sob novas perspectivas, sem se deixar fechar apenas às interpretações dominantes e tão parciais.
Direção: Thierry Binisti
Ano: 2013
Áudio: Francês, Hebraico, Árabe
Duração: 95 minutos

Inch’Allah
Chloé é uma jovem médica canadense que divide seu tempo entre o Ramallah, onde trabalha com a Organização Humanitária “Red Crescent”, e Jerusalém, onde mora ao lado de sua amiga Ava, uma jovem soldada israelense. Cada vez mais sensível ao conflito, Chloé vai diariamente pelo posto entre as duas cidades para chegar ao campo de refugiados, onde monitora as gestações de mulheres jovens.
Como se torna amiga de Rand, uma de suas pacientes, Chloé aprende mais sobre a vida nos territórios ocupados e começa a passar algum tempo com a família de Rand. Dividida entre os dois lados do conflito, Chloé tenta tudo que pode para criar elos entre suas amigas, mas sofre por permanecer uma eterna estrangeira para ambos os lados.
Direção: Anaïs Barbeau-Lavalette
Ano: 2013
Áudio: Inglês, Francês, Hebraico,Árabe
Duração: 100 minutos

O Filho do Outro ( Le Fils de l'autre)
Prestes a integrar o exército israelense para cumprir seu serviço militar, Joseph descobre que foi trocado na infância com Yacine, filho de uma família palestina da Cisjordânia. A vida das duas famílias se transforma radicalmente com esta descoberta, forçando cada um a reconsiderar seus valores e sua identidade.
Direção: Lorraine Levy
Ano: 2012
Áudio: Inglês, Francês, Hebraico, Árabe
Duração: 100 minutos


Nenhum comentário:

Postar um comentário